sábado, 29 de agosto de 2015

Um novo estudo revela as dificuldades das pessoas com Autismo para processar sons e imagens simultaneamente


É assistir a um filme estrangeiro mal dublado. As crianças com desordens do espectro autista têm problemas de integrar simultaneamente informações de seus olhos e os ouvidos, conclui um estudo da Vanderbilt University Medical Center, em Nashville, Estados Unidos, publicado no The Journal of Neuroscience.
O trabalho , liderado por Mark Wallace, diretor do Instituto do Cérebro Vanderbilt , é o primeiro a mostrar a relação e sugere fortemente que os déficits de construção sensorial, em última instância, podem prejudicar as habilidades sociais e de comunicação em crianças com Autismo.
“Há uma enorme quantidade de esforço e energia voltados ao tratamento de crianças com Autismo, mas praticamente nada disso é baseado em uma base empírica sólida ligada à função sensorial “, diz Wallace. “Se pudermos resolver este déficit de função sensorial precocemente, então talvez possamos ver os benefícios em linguagem, comunicação e nas interações sociais “, o relata o especialista.
O déficit no processamento sensorial pode gerar um efeito cascata que altera o funcionamento de outras tarefas relacionadas e que, portanto, também dificulta o processo de aprendizagem da linguagem, a dificuldade de associar de forma consistente sons e imagens, em uma espécie de dissociação de ambos estímulos, gerando uma integração das informações sensoriais problemática e situações de sobrecarga sensorial que podem levar a estados de ansiedade. Continua:
http://www.reab.me/um-novo-estudo-revela-as-dificuldades-das-pessoas-com-autismo-para-processar-sons-e-imagens-simultaneamente/

Nenhum comentário:

Postar um comentário