sábado, 13 de junho de 2015

Cartas de Beirute


Por ocasião do Dia Internacional de Conscientização sobre o Autismo, no último 02 de abril, a Inclusive publicou em primeira versão “Carta de Beirute”, ensaio de nossa colaboradora Ana Nunes, que pode ser lido aqui. O ensaio faz parte do livro “Cartas de Beirute – Reflexões de uma Mãe e Feminista sobre Autismo, Identidade e os Desafios da Inclusão” , que acaba de ser publicado pela editora curitibana CRV .
“Cartas de Beirute” é uma coletânea de seis ensaios, que podem ser lidos juntos ou separadamente, na sequência proposta na publicação ou na ordem desejada pelo leitor. Apesar de comporem um conjunto, cada artigo se se presta à leitura independente.
Em um misto de relato pessoal e comentário social, a autora fala sobre autismo – mas não só sobre isso. As reflexões de “Cartas de Beirute” são de fácil tradução para as experiências de diferentes leitores. Este é um livro sobre diferença, sobre identidade. Sobre luto como estrada para a aceitação. Sobre maternidade. Sobre machismo e sua interseção com capacitismo. Sobre a falácia de que alguns caminhos são “escolhas” das mulheres. Sobre a construção do Outro. E sobre a desconstrução de conceitos que roubam nossa humanidade – e roubam a Humanidade da riqueza das diferenças.
Supor que livros produzidos por e sobre uma determinada minoria só dizem respeito a este segmento específico é ignorar o que há de universal em qualquer experiência humana. Perceber que há universalidade em nossas especificidades talvez seja o primeiro passo para o respeito às diferenças.
Mas, para perceber, é preciso conhecer – e se dar a conhecer. É preciso romper as barreiras da invisibilidade, do silêncio e da indiferença. É este o exercício que “Cartas de Beirute” propõe ao leitor.
“Cartas de Beirute” está à venda no site da editora (clique aqui).


Nenhum comentário:

Postar um comentário