segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Número de meninas com autismo pode ser maior do que o estimado

Pesquisadores acreditam que meninos, por serem mais propensos a 'problemas comportamentais', vão ao médico com maior frequência para serem avaliados. Consequentemente, têm mais chances de receber o diagnóstico.

O autismo é um distúrbio quatro vezes mais prevalente no sexo masculino do que no feminino – é o que apontam os estudos epidemiológicos sobre o assunto. Os especialistas no assunto ainda não sabem ao certo o motivo dessa diferença, mas acreditam que ela pode ser explicada pelo fator genético. Um time de pesquisadores australianos, porém, acredita que é mais difícil fazer o diagnóstico de autismo em meninas do que nos meninos. Por esse motivo, talvez existam muitas jovens autistas sem o diagnóstico do distúrbio. 

"Os meninos costumam ter mais problemas de comportamento, como hiperatividade, do que as meninas, então eles são levados ao médico para serem avaliados com mais frequência do que elas", diz Tamara May, pesquisadora da Universidade Monash, na Austrália, e coordenadora de um estudo sobre o assunto.

para seguir lendo: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/numero-de-meninas-com-autismo-pode-ser-maior-do-que-o-estimado

 

 



 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário