quinta-feira, 23 de junho de 2011

Poema dia do Orgulho autista/2011, por Liê Ribeiro


Por quê?

Buscar horas
Perdidas
No relógio do tempo



A beleza
Da semente
Que germinou
Nem perfeita
Nem imperfeita
"Diferente"

Mas se colocada
Em terra árida
Perder-se-á
Em dores atrozes

Não quero
Mudar essa semente
Não posso
Transformá-la
Num remendo de flor
Nem rosa nem cravo



Mas que pode florir
Meio para direita
Meio para esquerda
Com nuanças perspicazes.

Posso ver essa semente
Orgulhosamente
Crescer
Num pomar de amor
Sonho de poeta.



Posso vê-la num jardim
Repleto de flores
"Diferentes"
Mas amadas

E quem abrir o coração
Poderá sentir.
O perfume da divindade
O cheiro de anjo.

E sentirá a paz
Do amor incondicional
De uma mãe flor
Mas por favor mundo
Não despetale

A esperança dessa causa.
Nem arranque da terra
Essa semente diferente
Regue-a até ela florir.

Tenho orgulho
Da flor que se tornou
Minha semente
Sua necessidade de amor
Mesmo não entendendo
O efeito ou causa de tudo

A felicidade
É tão frágil
São minutos
Que podem fugir

Mas orgulho-me
De cavar até a exaustão
O chão do seu coração menino.
E lá encontrar

Os sentimentos, mais sutis.
Escondidos
E temerosos
Trazê-los à tona.

E colocá-los
A salvo no jardim
Da minha vida!
Amo-te meu filho autista.

Orgulho-me de ti...
Que o planeta aprenda
A sentir orgulho de ti também!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista
com carinho Liê e Gabi autista
No sábado, 18 de junho de 2011, vista-se de azul em manifestação de amor à causa. Divulgue, repasse, comente!

"Educautismo: por um mundo onde todas as pessoas possam ser igualmente especiais."    ( Jaqueline Batista) 

.

__,_._,___

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário